Está aqui

Goalball

Main menu

Goalball

Oriundo das civilizações gregas e romanas, o Boccia tornou-se numa modalidade Paralímpica em 1984, nos jogos de Nova Iorque. Foi inicialmente uma modalidade exclusivamente para pessoas com paralisia cerebral sendo, a partir dos Jogos Paralímpicos de 2004, aberta a outras deficiências motoras. O Boccia chegou a Portugal em 1983, tendo no ano seguinte o país conquistado uma medalha de ouro nos Jogos de Nova Iorque. É um desporto praticado num espaço interior, de precisão, em que são lançadas bolas, seis de cor azul e seis de cor vermelha, com o objetivo de as colocar o mais perto possível de uma bola branca chamada “bola alvo”. É permitido o uso das mãos, dos pés ou de instrumentos de auxílio (calha/rampa) para atletas com grande comprometimento motor. Esta modalidade pode ser disputada de forma individual, pares ou por equipas. Antes de começar a partida, o árbitro sorteia através de moeda ao ar, a escolha da cor das bolas com que cada equipa vai competir. Ainda assim, dá aos participantes o direito de escolha: se querem competir com as bolas de cor vermelha, ou com as bolas de cor azul. Quem escolhe as vermelhas inicia a disputa, jogando primeiro a “bola alvo” e uma bola vermelha. Depois é a vez da bola azul entrar em ação. A partir de então, os adversários vão-se revezando, a cada lance, para ver quem consegue posicionar as bolas o mais perto possível da “bola alvo”. Para ganhar um ponto, o atleta tem de fazer com que a bola fique o mais próximo da “bola alvo”. Caso este mesmo jogador tenha colocado outras bolas mais próximas do alvo, cada uma delas também vale um ponto. Vence quem acumula a maior pontuação.

No Desporto Escolar, a modalidade apresenta algumas diferenças relativamente ao sistema federado. É uma modalidade mista e sem escalões e, aplicando o princípio da inclusão inversa, é possível aos alunos sem qualquer limitação funcional, praticar e competir nesta modalidade, assegurando a equidade/justiça desportiva.

Assim, existem no Desporto Escolar, 

  • 3 divisões individuais - 1 divisão para alunos em cadeira de rodas e que necessitam de uma calha para jogar, uma divisão para alunos que jogam em cadeira de rodas, mas não necessitam de nenhum dispositivo auxiliar e uma divisão para os alunos, com ou sem limitações funcionais, que jogam em pé. 
  • 2 divisões coletivas – 1 divisão de pares constituída por um aluno que joga em cadeira de rodas e mais um outro aluno e 1 divisão de equipa constituída por 2 alunos que jogam em pé mais outro aluno.

 

 

 

Regulamento

Regras Nacionais