Está aqui

Desportos Gímnicos

Main menu

Desportos Gímnicos

CartA história da Ginástica funde-se com a história do Homem. Sempre se praticou Ginástica como exercício físico e como preparação para as atividades diárias do Homem.

Foi na antiga Grécia, berço dos Jogos Olímpicos, que a prática da Ginástica foi difundida. No Norte da Europa, em finais do século XVIII e no início do século XIX, houve um grande desenvolvimento da modalidade: nessa altura foram criados aparelhos para a prática da Ginástica, que se foram desenvolvendo ao longo dos tempos.

A Ginástica fez parte do programa olímpico dos primeiros Jogos Olímpicos da Era Moderna, em Atenas, mas apenas com representação masculina. A representação feminina passou a integrar o programa oficial em Amesterdão, no ano de 1928.

A Federação Internacional de Ginástica foi fundada em 1921 e, em 1950, foi fundada a Federação de Ginástica de Portugal.

 A Federação Internacional de Ginástica considera duas grandes vertentes: uma recreativa (que remete para a ginástica geral) e uma desportiva, onde se englobam a ginástica acrobática, ginástica aeróbica, ginástica artística, ginástica rítmica e trampolins.

No Desporto Escolar encontram-se devidamente enquadradas as seguintes disciplinas: Ginástica Acrobática, Ginástica Aeróbica, Ginástica Artística, Ginástica de Grupo, Ginástica Rítmica e Trampolins, que se regem por regulamentos específicos do Desporto Escolar.

Atualmente, no Desporto Escolar, existem a nível nacional 347 Grupos-Equipa de Desportos Gímnicos, distribuídos pelas cinco Coordenações Regionais. São espaços de prática gímnica devidamente orientada, onde o aluno tem oportunidades de aprendizagem das diferentes disciplinas gímnicas.

No ano letivo 2013/14 têm representatividade nos Campeonatos Nacionais do Desporto Escolar as seguintes disciplinas: Ginástica Acrobática, Ginástica Artística, Ginástica de Grupo e Trampolins.

 

Ginástica Acrobática:

A Ginástica Acrobática exige flexibilidade, força, concentração, confiança e coordenação. As primeiras competições da disciplina remontam à década de setenta do século passado, altura em que foi criada a Federação Internacional de Desportos Acrobáticos, que mais tarde se fundiu com a Federação Internacional de Ginástica.

A Ginástica Acrobática pode ser praticada em 5 especialidades: Pares Femininos, Pares Masculinos, Pares Mistos, Grupos Femininos (formados por 3 ginastas do género feminino) e Grupos Masculinos (formados por 4 ginastas do género masculino). No Desporto Escolar, as especialidades são idênticas, com exceção do grupo masculino, que é constituído por 3 ginastas do género masculino.

Os exercícios, ou rotinas, são coreografados, com acompanhamento musical, têm a duração máxima de 2 minutos e meio, e são realizados num praticável de 12mx12m. São constituídos por elementos de grupo (figuras) de equilíbrio ou dinâmicos, bem como por elementos de técnica individual.

Nos Pares e Grupo, cada ginasta tem uma designação distinta de acordo com a sua função:

  • Base – ginasta mais forte e pesado que suporta as figuras, estando sempre em contacto com o solo;
  • Volante – ginasta mais leve e que normalmente tem mais flexibilidade, e que na realização das figuras não está em contacto com o solo mas em contacto com o base.
  • Intermédio – nos grupos existe um intermédio que está entre o base e o volante.

 

Ginástica Aeróbica:

A Ginástica Aeróbica consiste na habilidade em executar continuamente rotinas de elevada complexidade e intensidade, compostas por padrões de movimentos de Ginástica Aeróbica, elementos de dificuldade e elevações dinâmicas. As rotinas de competição devem demonstrar força explosiva, flexibilidade e coordenação motora, com acompanhamento musical característico das tradicionais aulas de ginástica aeróbica. Os padrões de movimentos aeróbicos são combinações de passos básicos de aeróbica (corrida, elevação do joelho, chuto, lunge e polichinelo), coordenados com movimentos dos braços, executados com música, criando sequências dinâmicas, rítmicas e contínuas, de complexos movimentos em baixo e alto impacto. As competições de Ginástica Aeróbica no Desporto Escolar consistem na participação em provas das categorias de Trios (3 ginastas femininos, masculinos ou mistos) e de Grupos (5 a 10 ginastas femininos, masculinos ou mistos).

Ainda no âmbito do Desporto Escolar, as provas desta disciplina consistem na performance de uma rotina de Ginástica Aeróbica, com acompanhamento musical de estilo livre, que inclui a execução coreográfica dos movimentos característicos da ginástica aeróbica (passos básicos combinados com movimentos de braços), de 4 a 8 exercícios de dificuldade (elementos de dificuldade) e de uma elevação facultativa. Cada prova consiste na apresentação de uma rotina com música livre, executada na área de competição de 7x7 m para trios, e de 10x10m para grupos e com o tempo de duração da música de 1 minuto e 25 segundos, a 1 minuto e 35 segundos. As rotinas são avaliadas nos critérios artístico, de execução e de dificuldade.

 

Ginástica Artística:

A Ginástica Artística engloba a Ginástica Artística Masculina (GAM) e Ginástica Artística Feminina (GAF). Esta disciplina rege-se por um código de pontuação e por um regulamento técnico próprios, e é modalidade do programa olímpico. Os objetivos são, numa base de preparação aprofundada, assimilar exercícios gímnicos de dificuldade superior, atingindo um elevado aperfeiçoamento na técnica de execução desses exercícios, mostrando uma elevada mestria desportiva. A Ginástica Artística Masculina (GAM) compreende um conjunto de 6 aparelhos: Solo, Cavalo com Arções, Argolas, Saltos de Cavalo, Paralelas Simétricas e Barra Fixa. A Ginástica Artística Feminina (GAF) compreende um conjunto de 4 aparelhos: Movimentos Livres, Saltos de Cavalo, Paralelas Assimétricas e Trave Olímpica.

No Desporto Escolar, a Ginástica Artística Masculina compreende apenas: Solo, Salto de Cavalo e um aparelho opcional (Barra Fixa ou Paralelas Simétricas), enquanto que a Ginástica Artística Feminina compreende o Solo, Salto de Cavalo e um aparelho opcional (Trave Olímpica ou Barra Fixa).

 

Ginástica de Grupo:

Embora esta disciplina seja considerada de recreação, com característica de exibição, no Desporto Escolar está organizada com quadro competitivo. Tem um conteúdo técnico muito amplo que envolve elementos gímnicos com ou sem aparelhos. Aqui poderão explorar-se as técnicas de todas as disciplinas existentes, e a predominância do movimento poderá ser mais gímnico ou mais dançado. É uma disciplina que apela muito à criatividade e o trabalho de grupo deverá ser privilegiado.

 

Ginástica Rítmica:

A Ginástica Rítmica é uma das vertentes da Ginástica e é uma disciplina especificamente feminina. Caracteriza-se pela beleza e complexidade dos movimentos, pelo alto nível de exigência coordenativa das ginastas, onde o aspeto artístico é tão importante como o nível técnico.

As provas poderão ser individuais ou de conjuntos, e consistem na apresentação de uma rotina onde os diferentes elementos são coreografados com música. Existem cinco aparelhos a utilizar: o arco, a fita, a maça, a bola e a corda. No âmbito do Desporto Escolar, o programa de competições para a Ginástica Rítmica é composto por um exercício de conjunto com aparelhos portáteis, e cada conjunto pode ter uma composição exclusivamente feminina, exclusivamente masculina ou mista. Os exercícios podem ser realizados com aparelhos idênticos (corda, bola ou arco) ou com aparelhos mistos (corda/bola, bola/arco, ou arco/corda).

 

Trampolins:

Esta disciplina permite ao ginasta atingir alturas superiores a 7 metros, executando múltiplos mortais e piruetas. O Trampolim pode ser visto como um desafio entre o homem e a gravidade. No passado algumas civilizações desenvolveram diversos métodos para voar, sendo a mais conhecida aquela em que usavam peles de animais como plataforma para enviar para o ar o executante, conseguindo posteriormente agarrá-los em segurança. O circo usou durante muitos anos uma diversidade enorme de métodos para enviar os seus artistas para o ar, com o intuito de colocar nos seus espetáculos grandes variedades de acrobacias aéreas.

Esta disciplina engloba diversas especialidades que diferem entre si, consoante o aparelho utilizado: Trampolim, Duplo Mini-Trampolim e Mini-Trampolim. O Trampolim está incluído no programa olímpico.

No Desporto Escolar, a disciplina engloba o Mini-Trampolim e o Tapete (em substituição do Tumbling).

 

Mini-Trampolim:

A estrutura do aparelho é metálica com 120x120 cm. A lona tem uma dimensão de 70x60 cm, é constituída por tiras de nylon de 15 milímetros de largura, sendo anexa à estrutura por molas metálicas.

Na competição de Mini-Trampolim existem 3 passagens., que constituem um concurso único. Cada passagem consiste em realizar apenas um elemento técnico (salto), após uma corrida de aproximação ao aparelho, devendo o ginasta realizar uma receção estável em pé, sobre uma superfície de colchões dentro da área devidamente delimitada para o efeito.

O Tumbling é uma disciplina espetacular e requer reações dinâmicas, consciência espacial, coordenação, força e coragem. Os exercícios não ultrapassam mais do que alguns segundos: o ginasta ganha velocidade, executando ao longo de uma pista própria de 25 metros uma série dos mortais e de piruetas. Os elementos têm que ser realizados todos no mesmo sentido, em sequência e sem paragens ou quebras, à exceção do último elemento, que pode ser feito em sentido inverso.

No Desporto Escolar, nesta especialidade, o ginasta deverá executar uma série de elementos facultativos no tapete, de acordo com tabelas definidas no regulamento específico.

 

Regulamento Geral Desportos Gímnicos - novo

Aeróbica - novo

Carta de Competição 1, 2, 3 juízes - em atualização

Fichas de Classificação - em atualização

Fichas de Classificação 2 juízes - em atualização

Fichas de Classificação 3 juízes - em atualização

Acrobática - novo

Carta de Competição Nível 1 - em atualização

Carta de Competição Nível 2 - em atualização

Carta de Competição Nível 3 - em atualização

Fichas de Classificação Nível 1 e 2 - 3 juízes - em atualização

Fichas de Classificação Nível 1 e 2 - 3 juízes simplificado - em atualização

Fichas de Classificação Nível 1 e 2 - 5 juízes - em atualização

Fichas de Classificação Nível 1 e 2 - 5 juízes simplificado - em atualização

Fichas de Classificação Nível 3 - em atualização

Fichas de Classificação Nível 3 simplificado - em atualização

 Artística - novo

Carta de Competição - Nível 1 - em atualização

Carta de Competição - Nível 2 - em atualização

Carta de Competição - Feminina - em atualização

Carta de Competição - Masculina - em atualização

Ficheiros de Classificação Nível 1 e 2 - 3 juízes - em atualização

Ficheiros de Classificação Nível 1 e 2 - 3 juízes simplificado - em atualização

Ficheiros de Classificação Nível 1 e 2 - 5 juízes - em atualização

Ficheiros de Classificação Nível 1 e 2 - 5 juízes simplificado - em atualização

Ficheiros de Classificação Nível 3 - 3 juízes - em atualização

Ficheiros de Classificação Nível 3 - 3 juízes simplificado - em atualização

Ficheiros de Classificação Nível 3 - 5 juízes - em atualização

Ficheiros de Classificação Nível 3 - 5 juízes simplificado - em atualização

Grupo - novo

Carta de Competição Grupo - em atualização

Ficha de Classificação - em atualização

Ficha de Classificação simplificado - em atualização

Trampolins - novo

Carta de Competição mini-trampolim  - Nível 1 - em atualização

Carta de competição Tapete  - Nível 1 - em atualização

Carta de Competição mini-trampolim  - Nível 2 - em atualização

Carta de competição Tapete  - Nível 2 - em atualização

Carta de Competição mini-trampolim  - Nível 3 - em atualização

Carta de competição Tapete  - Nível 3 - em atualização

Ficha de Classificação 3 juízes (fase local/regional/nacional) - em atualização

Ficha de Classificação 3 juízes simplificado (fase local/regional/nacional) - em atualização

Ficha de Classificação 5 juízes (fase local/regional/nacional) - em atualização

Ficha de Classificação 5 juízes simplificado (fase local/regional/nacional) - em atualização